Para o mar

Às seis da tarde durmo para acordar às onze da noite
Enquanto o dia corre ouço um milhão de pessoas falarem
nas ruas, nos ônibus, nos metrôs.

Às seis da tarde durmo para acordar às onze da noite
assim, no silêncio da noite apuro os ouvidos
pra te ouvir.

E lentamente ouço
incapaz de entender agora
mas bem sei.

Até lá
continue com as ressacas

E deixa o vento soprar
até o dia em que não vai haver mais areia
E nós vamos boiar por toda a cidade.

À noite, de dia
eu vou ser capaz de te ouvir todas as horas
dentro de você;

até o dia em que eu me afogar
se cuida
querido mar.

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Para o mar

  1. Emily disse:

    gosto de ouvir o mar, ele me ouve e entende oque eu sinto…

Comenta aí, mano!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s