Arquivo do mês: outubro 2012

Fechar os olhos no escuro

            Meia-noite, decidi te ligar. Deitado na cama, cansado de esperar esse seu tempo escroto e essa sua mania idiota de não decidir nada, senti que eu devia fazer algo, mesmo que não houvesse vontade alguma … Continuar lendo

Publicado em Sem categoria | 8 Comentários

Dezoito é menor que dez

É isso, acabou. Cheguei o mais longe onde podia; minhas pernas já me carregaram longe demais – e eu não posso continuar caminhando. Não, eu não aguento mais viver tudo isso e também não o quero. Não aguento mais acordar … Continuar lendo

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

O rio é um espelho

            O rio é um espelho e a minha vida é um engano. Vocês já sabem onde isso vai acabar, não é? Acostumem-se, um homem como eu não quer nada se não desistir de tudo, e … Continuar lendo

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Sonhos de valsa

I: Eu bem que poderia inundar tudo com palavras mas não só não. Eu bem que poderia escrever tudo que é intangível afinal, artista faz o que não pode e o que sente. Eu bem que poderia tentar explicar mas … Continuar lendo

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário