Aurora 251

Seguramente não és tu
Que busca no meu peito morada
Seguramente sou eu
Que busca alguém para no meu peito morar

A cidade está rugindo
Eu, sozinho
Minha língua apartada
Esquecidas as palavras
[de carinho

Ai, teus cabelos!
Como iria amá-los
E tu me deixaste
Sem âmago ou verdade
[para acreditar

E no quarto 251
Essa aurora dança
A nostalgia de tu, a perambular no quarto
Nas tuas unhas mora um pedaço
[do homem que foi teu

E eu que era puro
Perdi nos olhos a inocência
Enquanto afundava
No mangue do teu seio

A cidade está rugindo
A chuva, lhufas me diz
E eu, poeta a interpretar
Canto só melancolia

Seguramente sou eu.

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Comenta aí, mano!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s